Próximo EPAL

XXXV Encontro de Pesquisadores da América Latina

 

Caros (as) latino-americanistas,

Informamos que nosso próximo encontro será no dia 14 de setembro, sexta-feira, entre às 14 e 17:30 horas, na sala 205 da Escola de Comunicações e Artes da Universidade de São Paulo (endereço: Avenida Professor Lúcio Martins Rodrigues, 443). Neste EPAL teremos a seguinte programação:

 

Estéticas simbólicas do Movimento Cultura Viva Comunitária:

 tempo, utopia e arte da América Latina

Iara Machado (PROLAM/USP)

Trata-se de abordar a concepção do tempo,da utopia e da arte no Movimento Cultura Viva Comunitária da América Latina a partir de suas estéticas simbólicas, produzidas nos discursos de artistas que fundaram o movimento, e que se expressam na figura do “fantasma  que percorre a América Latina” clamando por uma cultura viva comunitária, no “asalto poético”, performance-ritual que inaugurou o movimento, e na “viagem à semente” proposta na Declaração de La Paz de 2013, que sela os fundamentos do mesmo.

 

Políticas de lo Colectivo para una gestión cultural comunitária

Paola de la Vega Velastegui (Universidad Andina Simón Bolívar Sede Ecuador)

La gestión cultural en Iberoamérica como una ramificación del desarrollo humano, que busca el crecimiento de las capacidades individuales, fue promovida por programas de cooperación en varios países de América Latina a partir de la década de los noventa. Este giro en la concepción de “la gestión” tensiona, desde un enfoque del “agente cultural productivo”, una de las bases epistemológicas características de los modos de accionar en el Sur: la cultura para la transformación social. Este principio tiene su base ideológica en postulados de izquierda, la teología de la liberación, la educación y comunicación popular, y más tarde, las luchas por los derechos identitarios, de la naturaleza, al territorio, etc.; sin embargo, en países como Ecuador, la idea de transformación pasó por alto -hasta años recientes- la relación entre prácticas culturales y trabajo. Actualmente, pensar en los modos de producción, sus condiciones, formas de organización, economías, distribución de los recursos, etc. para la resignificación crítica de conceptos como “gestión” o “emprendimiento”, invita a rever políticas de base comunitaria, a partir de “lo colectivo”, entendiéndolo como un espacio que posibilita otros modos de relacionamiento Estado-sociedad civil, y entre agentes culturales, sin obviar las relaciones de poder existentes.

 

Política Cultural em São Paulo:

 as experiências dos programas Vai e Cultura Viva Municipal

Vinícius Ribeiro Alvarez Teixeira (PROLAM/USP)

O trabalho discorrerá acerca da adoção do Programa Cultura Viva, principal programa de proteção e promoção da diversidade cultural já elaborado no Brasil, por parte da prefeitura de São Paulo, levando em conta o contexto em que foi implementado, bem como avaliando as possibilidades, os desafios e os entraves postos ao programa no momento presente. Serão consideradas e brevemente discutidas a conjuntura nacional e local, tanto no que concerne ao momento conturbado da vida política do Brasil, quanto no que se refere à política pública no âmbito da cultura do município de São Paulo. Faz-se pertinente estabelecer um paralelo com o Programa VAI, programa municipal com mais de uma década na cidade e considerado um divisor de águas da política cultural paulistana. Dada a abrangência e a complexidade da temática, o propósito da intervenção vai mais no sentido de fomentar o debate e propor questões sobre política pública no campo da cultura do que propriamente apresentar argumentos conclusivos.

 

Cosmovisões educativas das manifestações culturais comunitárias afro-brasileiras

Carlos Rogerio Eustachio da Silva Cupertino Amorim (Escola Waldorf/ Afroescola)

 

“O que é / pode ser uma AfroEscola?” tem sido a questão que nos move nos últimos 10 anos e que nos estimula a buscar, como necessidade básica cotidiana, relações e vivências interculturais menos formais para compreender e interagir com a sociedade contemporânea de modo mais humano. Nesse sentido, a experiência Cultura Viva, nacional e agora internacional, tem se mostrado uma grande e inspiradora possibilidade.

Segue abaixo o cartaz do evento:

 

cartaz XXXV EPAL 2.jpg

 

Contamos com a presença de todos (as),

 

Não é necessário fazer inscrição prévia

Serão fornecidos certificados de participação

 

Realização: PROLAM/USP

Programa de Pós-Graduação em Integração da América Latina da Universidade de São Paulo

Organização e Coordenação

Alessandra Cavalcante de Oliveira  (PROLAM/USP)

André Luiz Lanza (História Econômica/USP)

Margarida Nepomuceno (CESA/PROLAM/USP)

Mayra Coan Lago (História Social/USP)

Paulo Sergio de Castro (PROLAM/USP)

Rita de Cássia Marques Lima de Castro (CORS e NESPI/USP; UMC – Campus Villa-Lobos)

Sabrina Rodrigues (PROLAM/USP)

Thaís de Oliveira (PROLAM/USP)

Apoio: ECA/USP

Escola de Comunicações e Artes da Universidade de São Paulo

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s